Claritas
English Version

Estrutura Organizacional

Home Estrutura Organizacional

Estrutura organizacional 

Principais Executivos 

Picture1

CEO – Carlos Ambrósio

Formado em administração de empresas pela PUC – SP. Iniciou sua carreira como trainee no Citibank em 1988, onde trabalhou na área de mercados locais e derivativos. Em outubro de 1993 transferiu-se para o Banco Matrix. Em outubro de 1995, tornou-se sócio-diretor e membro do Comitê Executivo do Banco Matrix, responsável pelas áreas de distribuição local e internacional e gerenciamento de risco. Em 2001 deixou o Banco Matrix para ser sócio-diretor da Claritas Investimentos. Depois da associação com o Principal Financial Group em 2012, Carlos passou a atuar como CEO da empresa. Também é membro do Conselho da JHSF Participações S.A e Vice-Presidente e Membro do Conselho de Ética da ANBIMA (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais).

CIO – Helder Soares

Formado em administração de empresas pela FGV-SP e Economia pela USP. Iniciou sua carreira como analista de investimentos no Banco Patrimônio em 1992. Em 1994, transferiu-se para o Matrix, onde se tornou sócio responsável pelas operações proprietárias de renda variável. Em 2001, deixou o Matrix para ser diretor da Claritas Investimentos. Atualmente é CIO e responsável pela gestão dos fundos de ações, também é Membro do Conselho de Administração, do Comitê Executivo, Comitê de Investimento Sênior e Comitê de Gestão de Patrimônio da Claritas.

CCO – Ernesto Leme

É engenheiro formado pela Unicamp, pós-graduado em Administração de Empresas pela FGV-SP e obteve MBA pela Harvard Business School. Começou sua carreira como Trainee no Citibank em 1990. Em 1995 transferiu-se para o Banco Matrix, tornando-se sócio em 1996. No Matrix foi responsável pela gestão dos fundos de renda fixa e de derivativos.
Em 1998 mudou-se para Nova Iorque onde atuou como Head Trader da posição proprietária de Brasil do DLJ (Donaldson, Lufkin & Jenrette). Posteriormente transferiu-se para a Goldman Sachs onde atuou como Diretor Executivo nos escritórios de Londres, Zurich e Genebra. Retornou ao Brasil em 2005 para atuar como Diretor Executivo e Desk Head do Time de Key Clients do Banco UBS Pactual. Transferiu-se para a Claritas em 2008 como CEO da Claritas Gestão de Patrimônio. Em outubro de 2014 se tornou CCO, Chief Commercial Officer. Atualmente é membro do Conselho de Administração, do Comitê Executivo e também preside o Comitê Comercial e de Produtos e o Comitê de Gestão de Patrimônio. É membro da Comissão de Acompanhamento de Fundos de Investimento e do Conselho de Regulação de Melhores Práticas da Atividade de Gestor de Patrimônio Financeiro da ANBIMA.

COO – Cassiano Morelli

Formado em Administração Pública pela FGV-SP. Iniciou sua carreira em 2005 na área de Crédito do ABC Brasil –  Arab Banking Corporation. Seu trabalho tinha como foco análises do segmento Large Corporate. Em 2006 passou a trabalhar para a Rio Bravo Securitizadora (atual RB Capital), onde era responsável pelas análises de crédito. No ano de 2008 transferiu-se para a Claritas, onde atualmente é COO.

Gestão de Produtos Estruturados – Mario Issa

Formado em Engenharia de Produção pela Universidade de São Paulo (USP) com MBA em Finanças pelo Instituto Brasileiro de Mercado de Capitais (IBMEC) e MBA em Ciências Atuariais pela Fundação Instituto de Pesquisas Atuariais, Contábeis e Financeiras (FIPECAFI). Com grande experiência no mercado financeiro tendo atuado em instituições como: Banco Itaú, Banco Crefisul, Banco Fator, Matrix, Bank Boston, JP Morgan e GP Investimentos. Em 2007 iniciou atividades na Clarita, sendo o responsável por distribuição junto a Investidores Institucionais e Estruturação de Produtos, também é Membro do Comitê de Gestão de Patrimônio.

Gestão dos fundos de Ações – Eduardo Morais

Formado em economia pela UFRJ-RJ. CFA. Iniciou sua carreira em 1998 como analista de ações e portfólio manager no Banco Matrix. Em 2002 ingressou na Claritas como membro da equipe de gestão dos fundos de ações. Atualmente é Head de gestão dos fundos de ações e Membro do Comitê de Investimentos Senior e do Comitê de Gestão de Patrimônio da Claritas.

Gestão dos fundos Macro – Damont Carvalho

Formado em Administração de Empresas pela Universidade Mackenzie com MBA em Finanças pelo IBMEC. Inciou sua carreira em 1996 como estagiário no Chase Manhattan Asset Management/JPMorgan Asset management, onde trabalhou na área de renda Fixa e derivativos . Permaneceu até 2003 atuando como Gestor Senior dos Fundos Multimercados e Renda Fixa, quando foi incorporado pela asset do Bradesco (BRAM) em virtude da venda da unidade no Brasil. Em 2004 foi o Superintendente responsável pela área de Multimercados do ABN AMRO Asset Management, permanecendo até agosto de 2005, quando foi convidado a ser o responsável pela área de Renda Fixa e Derivativos da Fator Administração de Recursos (FAR) . Neste último atuou como Diretor de Renda Fixa e Derivativos e, em seus últimos meses antes de se desligar do Conglomerado Fator, como o Diretor Geral da FAR. Em outubro de 2012 passou a ser head responsável pela gestão dos Fundos Macro da Claritas, onde também é Membro do Comitê de Investimento Sênior e Comitê de Gestão de Patrimônio.

Analista de Ações – Paulo Frade

Formado em administração de empresas pela FGV – SP em 2002. Ingressou na Claritas em 2002  atuando na área de trading de renda variável, e após 3 anos foi para a área de análise fundamentalista da equipe de gestão dos fundos de ações.

 

Os gráficos, tabelas e demais informações aqui constantes destinam-se exclusivamente aos cotistas e são meramente informativos, não representando sugestão de investimento. Nos termos da regulamentação da Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiros e de Capitais – ANBIMA, para a avaliação do desempenho do fundo de investimento, é recomendável uma análise de períodos de, no mínimo, 12 (doze) meses. A rentabilidade obtida no passado não representa garantia de rentabilidade futura. Fundos de investimento não contam com garantia do administrador do fundo, do gestor da carteira, de qualquer mecanismo de seguro ou, ainda, do Fundo Garantidor de Créditos – FGC. É recomendada a leitura cuidadosa do prospecto e regulamento do fundo de investimento pelo investidor ao aplicar seus recursos. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. Esses fundos podem utilizar estratégias com derivativos como parte integrante de sua política de investimento. Tais estratégias, se e da forma como forem adotadas, podem resultar em significativas perdas patrimoniais para seus cotistas, podendo inclusive acarretar perdas superiores ao capital aplicado e a consequente obrigação do cotista de aportar recursos adicionais para cobrir o prejuízo dos fundos. Alguns dos fundos aqui expostos estão autorizados a realizar aplicações em ativos financeiros no exterior. Os fundos de ações podem estar expostos a significativa concentração em ativos de poucos emissores, com os riscos daí decorrentes. O Ibovespa e o Dólar são meras referências econômicas, não sendo assim parâmetros objetivos dos fundos aqui veiculados.